ESPAÇO DE TERAPIAS ORIENTAIS E MASSOTERAPIA

MASSAGENS - TERAPÊUTICA, ESTÉTICA, RELAXANTE, DRENAGEM LINFÁTICA

ESTÉTICA FACIAL E CORPORAL

VENTOSATERAPIA
MOXABUSTÃO
ACUPUNTURA (TRADICIONAL CHINESA)
STIPER
GEOTERAPIA
CROMOTERAPIA
AROMATERAPIA
MAGNETOTERAPIA

ESTÉTICA FACIAL COM ACUPUNTURA OU MAGNETOTERAPIA

sexta-feira, 12 de abril de 2013

O Yin e o Yang nas Vinte e Quatro Horas do Dia



            No amanhecer inicia o yang e este chega ao seu ápice ao meio dia, quando começa a declinar. No entardecer inicio o yin e seu ápice se dá a meia noite (no mínimo do yang). O yin começa a declinar conforme se aproxima o amanhecer. Assim, num período de vinte e quatro horas o meio dia é o máximo de yang e a meia noite é o máximo de yin. Da meia noite até o nascer da manhã o yin vai perdendo sua intensidade e se transformando em yang. Assim como o meio dia que é o máximo de yang; o yang vai perdendo força e se transformando em yin conforme chega à noite.
            A energia yang protege nosso corpo juntamente com a Energia de Defesa (Wei Qi ou Sentinela) durante o dia enquanto percorre a superfície do corpo. A noite é a época do yin e o yang juntamente com a Energia Sentinela então se aprofundam no interior do corpo, razão pela qual a febre e outras enfermidades pioram ou atingem o ápice durante a madrugada.
            O primeiro paço para mantermos a saúde é se adaptando aos ciclos do yin e yang. Assim, quando o sol se põe devemos acolher o yin e permitir que o nosso corpo descanse. Ao iniciar o dia devemos nos levantar e acolher o yang (como citado no texto dos cinco elementos e as estações).
            Se quisermos respeitar estes ciclos devemos realizar as atividades yang dentro do período yang. Isto é, limpara a casa, praticar esportes e tarefas em que suamos e movimentamos o corpo devem ser realizados no período do yang. Das quinze horas (15h00min) às dezenove horas (19h00min) é o declínio do yang e a chegada do yin e por isso deve ser o horário mais indicado a tarefas menos pesadas (leituras, encontros, meditações, etc.). Também não se devem comer após as dezenove horas para não sobrecarregarmos o fígado (Gan), para que este possa nutrir nosso sangue e trabalhar na síntese dos elementos que podem fortalecê-lo.

OS CINCO ELEMENTOS E AS ESTAÇÕES DO ANO



            Questionaram-me: “Por que tem cinco (5) elementos e quatro (4) estações?”.
É que do verão pulamos para o outono, desconsiderando o período de estio.
            No livro “Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo” lê-se: “(...) as energias yin e yang das quatro estações são as energias/raiz de surgimento e crescimento de todas as coisas.”.
            A primavera traz “crescimento e expansão” e é a época para fortalecer o fígado (Gan) e a vesícula biliar (Dan) e os tendões e músculos ao se deitar cedo e levantar com os primeiros raios d sol e se caminhar ao ar livre.
            O sol e o ar que respiramos trazem o yang celeste e em todas as estações devem-se receber os primeiros raios de sol e se respirar o ar puro da manhã.
            O verão é a estação da energia yang e o declínio da energia yin e para se reservar a saúde no verão devem-se evitar ficar com fome e também suar para que a energia yang possa sair e fluir livremente impedindo assim que o calor fique estagnado, o que causaria uma Síndrome de Calor Perverso. Assim se fortalece o coração (Xin) e o intestino delgado (Xiao Chang).
            O outono é a estação em que as “formas estão maduras e prontas para a colheita”. No outono deve-se evitar sentir frio e procurar manter a paz de espírito e o equilíbrio interior se protegendo da ansiedade e precipitação. Assim se assegura a saúde do pulmão (Fei) e do intestino grosso (Da Chang).
            O inverno é a época de “fechar e armazenar”. Devemos procurar nos manter em ambientes quentes para que a energia yang não possa ser perturbada, pois esta á a fase do ápice do yin e do declínio do yang. Nesta fase devemos nos manter ainda mais serenos e tranquilos e em repouso (diminuir o ritmo) evitando transpirar e exaurirmos ou consumirmos a energia Ang (esta deve ser poupada). Assim se mantém a saúde dos rins (Shen) e da bexiga (Pang Guang).
            

YIN E YANG E OS CINCO ELEMENTOS


Vivemos num planeta em que abundam a diversidade: reino animal, reino vegetal, mineral, etc. Este planeta a que chamamos Terra é a casa de cada entidade de cada reino e só é rico porque aqui vivemos numa interdependência. Um reino depende do outro para continuar existindo e nenhum tem preponderância de importância sobre o outro, pois cada reino existe para equilibrar toda a cadeia de vida sobre o globo. Cada folha de grama e cada animal existe por uma razão e onde uma espécie dentro de algum reino entrar em extinção a consequência é o desequilíbrio da vida no planeta.
Esta interdependência não diz respeito apenas aos seres sobre o planeta, pois que todos os reinos existentes na Terra dependem do que podemos chamar "ajudantes do espaço". Os planetas e especificamente o Sol e a Lua também são nossos dadores de vida, pois se um único vulcão explodir com força suficiente para lançar no ar fumaça que impeça o sol de penetrar em nossa atmosfera, deixaríamos de existir. E a Lua é a "Grande Maestra dos Ciclos das Marés".
Assim sendo, cada reino e cada entidade dentro destes reinos é uma unidade menor dentro de uma maior, cada qual importante à sua própria maneira.
OBS.: Podemos perceber a queda em nossa força vital e a alteração de humor do nosso sistema emocional quando há muitos dias de chuva, quando parece que o sol nunca mais vai aparecer novamente no céu. Pessoa mais sensíveis chegam até a ficar depressivas. E imaginem se a lua não nos abençoasse trazendo a noite,o descanso e sua luz prateada... Dependemos desse equilíbrio e porque nossas vidas dependem tanto de um sistema de balanceamento tão frágil e interligado devíamos expressar gratidão à Inteligência de Vida que mantém tudo em tamanha organização.
Fico imaginando como as coisas poderiam ser diferentes senão nos esforçássemos tanto para atrapalhar, sujar, poluir, destruir, etc. Se como os índios dizem "a Terra é nossa mãe", então somos péssimos filhos; filhos que não só estão em desarmonia entre si, mas também em dissonância com os ciclos da Natureza. Será que tentamos compensar nosso senso de fragilidade e por isso abusamos tanto do poder# Por que somos o animal com consciência que a usa de forma tão inconsequente# Ou será que nosso problema maior não é compensação, nem o abuso do poder, mas a carência# Sim, podemos nos sentir tão carentes e sozinhos e sem importância que vivemos para acumular, possuir, amontoar... É como se o nosso copo nunca estivesse suficientemente cheio, sempre precisamos de mais (roupas, carros, imóveis, etc.). Será que somos um reflexo menor dos buracos negros do espaço e que por isso absorvemos tudo o que podemos#
O Hermetismo diz que "assim como é encima é embaixo". Em aula já nos perguntamos: E se nós somos as células de um organismo maior# Bem, se este for o caso podemos ser o "câncer da Terra" com nossas guerras,invasões, desmatamentos, etc. Porque isto é o que o câncer faz no nosso organismo, invade outras áreas#órgãos e os destrói. Nossas células podem estar apenas refletindo nossas crises, nossas revoltas, raiva, depressão, etc. Como um holograma onde as partes refletem o todo.
CONTINUA.

Teoria do yin e yang e dos cinco elementos


A Medicina Tradicional Chinesa nasceu da observação do homem no seu meio ambiente e afirma que “a primeira doença nasceu com a primeira mentira”.
                Esta é a Medicina mais antiga a que temos acesso, porque a Medicina Suméria (que seria a mais antiga) se perdeu e a Egípcia (que seria a segunda mais antiga) sobraram poucos fragmentos para nós.
                Segundo a M.T.C. o homem oi perdendo a saúde ao deixar de viver em harmonia com os ciclos da Natureza. Não respeitando mais o nascer e o pôr do sol; nossa carga horária de trabalho e vida corrida desregulou nosso relógio biológico interno.
A M.T.C. está assentada sobre dois pilares: a teoria do Yin e do Yang; e a teoria dos cinco 5) elementos ou movimentos.
                Obervando a natureza os velhos sábios chineses perceberam características definidas nas estações e na forma como os ciclos e os elementos que formam estes ciclos se movimentam criando tudo o que existe. Assim, as características yang seriam: atividade, calor, claridade, expansão, força, agitação, etc. As características yin: repouso, frio, contração, retração, implosão, calma, etc.
                Essas características yin e yang são sempre encontrados de forma relativa e se transmutam muito rápido. Assim uma pessoa pode acordar mais introspectiva, silenciosa, reflexiva (yin) e ao final do dia estar inspirada a realizar coisas, fazer, criar, expandir, então estará mais yang. Assim é com o clima do dia, com as estações também com as fases de nossas vidas. Portanto, o yin e o yang estão sempre interagindo e se transformando, sempre em movimento, criando a vida. Um dia mais ensolarado terá mais características yang enquanto u dia sombrio será mais yin e um dia chuvoso e frio será predominantemente yin. Analogamente há pessoas com características mais yang: extrovertidas, com facilidade de comunicação, com desenvoltura, realizadora, etc. Enquanto outras pessoas são mais yin: introvertidas, falam pouco, não realizam muito, etc.
                Em nossa saúde percebemos o yin e o yang em todas as anomalias e desequilíbrios que sentimos, sejam eles energéticos ou já instalados no organismo como um todo:

Yang                                                                              yin
Hipertensão arterial                                                   pressão baixa
Hipertireoidismo                                                        hipotireoidismo
Taquicardia                                                                  bradicardia
Contração/contratura                                               relaxamento
Ira                                                                                 melancolia

CONTINUA.